O LUAR

O luar,
é a luz do Sol que está sonhando
O tempo não pára!
A saudade é que faz as coisas pararem no tempo...
...os verdadeiros versos não são para embalar,
mas para abalar...
A grande tristeza dos rios é não poderem levar a tua imagem...
 
Mario Quintana 


22/02/2017

Assim eu vejo a vida

A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.
 
Cora Coralina
 
22/02/2017

PRESENÇA

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.
 
Mario Quintana
 
22/02/2017

Sedução 

A poesia me pega com sua roda dentada,
me força a escutar imóvel
o seu discurso esdrúxulo.
Me abraça detrás do muro, levanta
a saia pra eu ver, amorosa e doida.
Acontece a má coisa, eu lhe digo,
também sou filho de Deus,
me deixa desesperar.
Ela responde passando
a língua quente em meu pescoço,
fala pau pra me acalmar,
fala pedra, geometria,
se descuida e fica meiga,
aproveito pra me safar.
Eu corro ela corre mais,
eu grito ela grita mais,
sete demônios mais forte.
Me pega a ponta do pé
e vem até na cabeça,
fazendo sulcos profundos.
É de ferro a roda dentada dela.
( Adélia Prado )
(Do livro Bagagem. São Paulo: Siciliano, 1993. p. 60)
 
22/02/2017

RETRATO

CECILIA MEIRELES

Eu nao tinha este rosto de hoje,

Assim calmo, assim triste, assim magro,

nem estes olhos tão vazios,

nem o labio amargo.

 

Eu não tinha estas mãos sem força,

tão paradas, e frias, e mortas;

eu não tinha este coração 

que nem se mostra.

 

Eu não dei por esta mudança,

tão simples, tão certa, tão facil:

_ Em que espelho ficou perdida a minha face?

 

 22/02/2017

Escrevendo, eu falo pra caralho, não é?

Caio Fernando  Abreu

20/02/2017

ANINHA E SUAS PEDRAS

Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.
 
Cora Coralina (Outubro, 1981)
 
22/02/2017

O pensamento assim nos acovarda, e assim
É que se cobre a tez normal da decisão
Com o tom pálido e enfermo da melancolia;
E desde que nos prendam tais cogitações,
Empresas de alto escopo e que bem alto planam
Desviam-se de rumo e cessam até mesmo
De se chamar ação.

Ato III, Cena I: Príncipe Hamlet - William Shakespeare 
20/02/2017

Odeio o modo como fala comigo
E como corta o cabelo
Odeio como dirige o meu carro
E odeio o seu desleixo
Odeio suas enormes botas de combate
E como consegue ler minha mente
Eu odeio tanto isso em você
Que até me sinto doente
Odeio como está sempre certo
E odeio quando você mente
Odeio quando me faz rir muito
Ainda mais quando me faz chorar...
Odeio quando não está por perto
E o fato de não me ligar
Mas eu odeio principalmente
Não conseguir te odiar
Nem um pouco
Nem mesmo por um segundo
Nem mesmo só por te odiar

"10 coisas que eu odeio em voce" 

20/02/2017

O último poema

Manuel Bandeira
 
Assim eu quereria meu último poema
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.
O último poema

20/02/2017




 

Carlos Drummond de Andrade


(...) Pois de tudo fica um pouco.
Fica um pouco de teu queixo
no queixo de tua filha.
De teu áspero silêncio
um pouco ficou, um pouco
nos muros zangados,
nas folhas, mudas, que sobem.
Ficou um pouco de tudo
no pires de porcelana,
dragão partido, flor branca,
ficou um pouco
de ruga na vossa testa,
retrato.
(...) E de tudo fica um pouco.
Oh abre os vidros de loção
e abafa
o insuportável mau cheiro da memória.
(Resíduo)
20/02/2017

Quero ser acordada pela luz empoeirada do sol que entra pelas frestas das persianas. – (O Mercador de Veneza) 

William Shakespeare

20/02/2017

"Você nunca ouviu falar em maldição
nunca viu um milagre
nunca chorou sozinha num banheiro sujo
nem nunca quis ver a face de Deus."
(Cazuza: "Só as mães são felizes")

20/02/2017

Já fui vendido por quem dizia me amar, e fui negociado por alguém que amei, porém eu, não negocio ninguém nem tão pouco serei mercador daqueles que amo!

 (O Mercador de Veneza) William Shakespeare

20/02/2017

Outros filmes viriam, nos dias seguintes, e tão naturalmente como se de alguma forma fosse inevitável, também vieram histórias pessoais, passados, alguns sonhos, pequenas esperança e sobretudo queixas. Daquela firma, daquela vida, daquele nó, confessaram uma tarde cinza de sexta, apertado no fundo do peito. Durante aquele fim de semana obscuramente desejaram, pela primeira vez, um em sua quitinete, outro na pensão, que o sábado e o domingo caminhassem depressa para dobrar a curva da meia-noite e novamente desaguar na manhã de segunda-feira quando, outra vez, se encontrariam para: um café. Assim foi, e contaram um que tinha bebido além da conta, outro que dormira quase o tempo todo. De muitas coisas falaram aqueles dois nessa manhã, menos da falta que sequer sabiam claramente ter sentido.

Caio Fernando Abreu - Aqueles doisAqueles dois  20/02/2017

O Silêncio das Estrelas
Lenine

Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão

Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Como um Deus e amanheço mortal

E assim, repetindo os mesmos erros, dói em mim
Ver que toda essa procura não tem fim
E o que é que eu procuro afinal
Um sinal, uma porta pro infinito irreal
O que não pode ser dito, afinal
Ser um homem em busca de mais, de mais
Afinal, como estrelas que brilham
Em paz, em paz
Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão
Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Como um Deus e amanheço mortal
Um sinal, uma porta pro infinito o irreal
O que não pode ser dito, afinal
Ser um homem em busca de mais
Afinal, ser um homem em busca de mais

A CINZA DAS HORAS

Epígrafe
Sou bem-nascido. Menino,
Fui, como os demais, feliz.
Depois, veio o mau destino
E fez de mim o que quis.
Veio o mau gênio da vida,
Rompeu em meu coração,
Levou tudo de vencida,
Rugiu como um furacão,
Turbou, partiu, abateu,
Queimou sem razão nem dó –
Ah, que dor!
Magoado e só,
– Só! – meu coração ardeu:
Ardeu em gritos dementes
Na sua paixão sombria...
E dessas horas ardentes
Ficou esta cinza fria.
– Esta pouca cinza fria...

Manoel Bandeira

 
E pelo mesmo fato de se haver visto ao espelho, sentiu como sua condição era
pequena porque um corpo é menor que o pensamento — a ponto de que seria inútil ter
mais liberdade: sua condição pequena não a deixaria fazer uso da liberdade. Enquanto a
condição do Universo era tão grande que não se chamava de condição.
 
Clarice Lispector - Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres

faz de conta que ela fechasse os olhos e seres amados

surgissem quando


abrisse os olhos úmidos de gratidão, faz de conta que tudo o

que tinha não era faz de


conta, faz de conta que se descontraía o peito e uma luz

douradíssima e leve a guiava por


uma floresta de açudes mudos e de tranqüilas mortalidades, faz

de conta que ela não era


lunar, faz de conta que ela não estava chorando por dentro —

pois agora mansamente,


embora de olhos secos, o coração estava molhado; ela saíra

agora da voracidade de


viver

Clarice Lispector - Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres 

A CINZA DAS HORAS

Desencanto


Eu faço versos como quem chora
De desalento... de desencanto...
Fecha o meu livro, se por agora
Não tens motivo nenhum de pranto.
Meu verso é sangue. Volúpia ardente...
Tristeza esparsa... remorso vão...
Dói-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.
E nestes versos de angústia rouca
Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre sabor na boca.
– Eu faço versos como quem morre.


Teresópolis, 1912

Manoel Bandeira

A CINZA DAS HORAS

O inútil luar

É noite. A Lua, ardente e terna,
Verte na solidão sombria
A sua imensa, a sua eterna
Melancolia...
Dormem as sombras na alameda
Ao longo do ermo Piabanha.
E dele um ruído vem de seda
Que se amarfanha...
No largo, sob os jambolanos,
procuro a sombra embalsamada.
(Noite, consolo dos humanos!
Sombra sagrada!)
Um velho senta-se a meu lado.
Medita. Há no seu rosto uma ânsia...
Talvez se lembre aqui, coitado!
De sua infância.
Ei-lo que saca de um papel...
Dobra-o direito, ajusta as pontas,
E pensativo, a olhar o anel,
Faz umas contas...
Com outro moço que se cala.
Fala um de compleição raquítica.
Presto atenção ao que ele fala:
– É de política.
Adiante uma senhora magra,
Em ampla charpa que a modela,
Lembra uma estátua de Tanagra.
E, junto dela,
Outra a entretém, a conversar:
– “Mamãe não avisou se vinha.
Se ela vier, mando matar
Uma galinha.”
E embalde a Lua, ardente e terna,
Verte na solidão sombria
A sua imensa, a sua eterna
Melancolia...

Manoel Bandeira 

"Se eu me confirmar e me considerar verdadeira, estarei
perdida porque não saberei onde engastar meu novo modo de ser -
se eu for adiante nas minhas visões fragmentárias, o mundo
inteiro terá que se transformar para eu caber nele."

Clarice Lispector  -  Apaixao segundo GH

 

A CINZA DAS HORAS

Chama e fumo


Amor – chama, e, depois, fumaça...
Medita no que vais fazer:
O fumo vem, a chama passa...
Gozo cruel, ventura escassa,
Dono do meu e do teu ser,
Amor – chama, e, depois, fumaça...
Tanto ele queima! e, por desgraça,
Queimado o que melhor houver,
O fumo vem, a chama passa...
Paixão puríssima ou devassa,
Triste ou feliz, pena ou prazer,
Amor – chama, e, depois, fumaça...
A cada par que a aurora enlaça,
Como é pungente o entardecer!
O fumo vem, a chama passa...
Antes, todo ele é gosto e graça.
Amor, fogueira linda a arder!
Amor – chama, e, depois, fumaça...
Porquanto, mal se satisfaça
(Como te poderei dizer?...),
O fumo vem, a chama passa...
A chama queima. O fumo embaça.
Tão triste que é! Mas... tem de ser...
Amor?... – chama, e, depois, fumaça:
O fumo vem, a chama passa...


Teresópolis, 1911

Manoel Bandeira

Estou procurando, estou procurando.

Estou tentando entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas
não quero ficar com o que vivi.

Não sei o que fazer do que vivi,
tenho medo dessa desorganização profunda.

Clarice Lispector  -  A paixao segundo GH

A CINZA DAS HORAS

DELÍRIO
Que será que desperta em mim neste momento
Uma inquietação que é quase uma agonia?
Há um soluço lá fora... É o soluço do vento,
E parece sair de minhalma sombria.

Por que, na solidão desta tarde que morre,
Sinto o pulso bater em pancadas de medo?
Por que de instante a instante uma lembrança ocorre,
A que estremeço como a um terrível segredo?
Por que pensei em minha mãe agonizante?
Por que me acode a voz daquele amigo morto?
Será a sombra da morte aquela névoa errante,
E morrerei desamparado e sem conforto?...
Como a casa é deserta! E como a tarde é fria!
Plange cada vez mais o soluço do vento,
E parece sair de minhalma sombria.
Desânimo... Desesperança... Desalento...
Mãos femininas... Mãos ou de amantes ou de esposa,
Quem me dera sentir em minha árida fronte
O aroma que impregnais, tocando, em cada cousa...
A carícia da brisa... A frescura da fonte...
Mas nenhuma virá, no instante em que me morro,
Dar-me a consolação deste longo martírio.
Nenhuma escutará o grito de socorro
Do meu penoso, do meu trágico delírio.
Que me importa o passado? À minha natureza
Repugna essa volúpia enorme da saudade.
Ó meu passado, ruinaria sem beleza!
Eu abomino a tua escura soledade.
O tempo... Horas de horror e tédio da memória....
Ah, quem mo reduzira ao minuto que passa,
— Fosse ele de paixão inerte e merencória,
Na solitude, no silêncio e na desgraça!
© MANUEL BANDEIRA
In A cinza das horas, 1917
 

"um nome para o que eu sou, importa muito pouco.

importa o que eu gostaria de ser."

Clarice Lispector

Uma Coca-cola com Você
É ainda melhor que uma viagem  a San Sebastian, Irun, Hendaye, Biarritz, Bayonne ou que ficar enjoado na Travessera de Gracia em Barcelona.
Em parte porque nessa camisa laranja você parece um São Sebastião melhor e mais feliz.
Em parte porque eu gosto tanto de você, em parte porque você gosta tanto de iogurte, em parte por causa das tulipas laranja fluorescente contra a casca branca das árvores,
em parte pelo segredo que nos vem ao sorriso perto de gente e de estatuária.
É difícil quando estou com você acreditar que existe alguma coisa tão parada, tão solene, tão desagradável e definitiva como estatuária, quando bem na frente delas na luz quente de Nova York às quatro da tarde nós estamos indo e vindo de um lado para o outro como a árvore respirando pelos olhos de seus nós.

E a exposição de retratos parece não ter nenhum rosto, só tinta. 
De repente você se surpreende que alguém tenha se dado ao trabalho de pintá-los.
olho pra você e prefiro, de longe olhar para você do que para todos os retratos do mundo. 
exceto talvez às vezes o Cavaleiro Polonês que de qualquer maneira está no Frick, aonde graças a Deus você nunca foi, de modo que eu posso ir junto com você a primeira vez.
E isso de você se mover tão bonito mais ou menos dá conta do Futurismo. 
assim como em casa nunca penso no Nu Descendo a Escada ou
num ensaio em algum desenho de Leonardo ou Michelangelo que costumava me deslumbrar.
E o que adianta aos Impressionistas tanta pesquisa
quando eles nunca encontraram a pessoa certa para ficar perto de uma árvore quando o sol baixava?
Ou por sinal Marino Marini que não escolheu o cavaleiro tão bem quanto o cavalo  acho que eles todos deixaram de ter uma experiência maravilhosa que eu não vou desperdiçar.
por isso estou te contando.

                                          Frank O'Hara
 

"Que olhos os teus

 Quanto mistério
Nos olhos teus
Quantos saveiros
Quantos navios
Quantos naufrágios
Nos olhos teus..."
 
Vinicius de Moraes


"Mais uma vez, nas suas hesitações confusas, o que a tranqüilizou foi o que tantas vezes lhe servia de sereno apoio: é que tudo o que existia, existia com uma precisão absoluta e no fundo o que ela terminasse por fazer ou não fazer não escaparia dessa precisão; aquilo que fosse do tamanho da cabeça de um alfinete, não transbordava nenhuma fração de milímetro além do tamanho de uam cabeça de alfinete: tudo o que existia era de uma grande perfeição. Só que a maioria do que existia com tal perfeição era, tecnicamente, invisível: a verdade, clara e exata em si própria, já vinha vaga e quase insensível à mulher.
Bem, suspirou ela, se não vinha clara, pelo menos sabia que havia um sentido secreto nas coisas da vida."
Clarice Lispector - Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Editora Rocco Ltda., 1998, página 18

 
"E que escuridao dentro do seu corpo."
Clarice Lispector - A hora da estrela 
 

"Que ninguém se engane, só consigo a simplicidade através de muito trabalho."

 
"Enquanto eu tiver perguntas e não houve resposta continuarei a escrever."
 
 
 
"Pensar é um ato. Sentir é um fato."
 
"Meu coração se esvaziou de todo desejo é reduz-se ao próprio último ou primeiro pulsar."
 
"Então eu canto alto agudo uma melodia sincopada e estridente - é a minha própria dor, eu que carrego o mundo e há falta de felicidade."
 
"Porque há o direito ao grito.
Então eu grito.
Grito puro e sem pedir esmola."
 
"Um meio de obter é não procurar, um meio de ter é o de não pedir e somente acreditar que o silêncio que eu creio em mim é resposta a meu - a meu mistério."
 
"Transgredir, porém, os meus próprios limites me fascinou de repente."
 
"E pelo menos o que escrevo não pede favor a ninguém e não implora socorro: aguenta-se na sua chamada dor com uma dignidade de barão."
 
"Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite."
 
"A eternidade é o estado das coisas neste momento."
 
"Mas preparado estou para sair discretamente pela saída da porta dos fundos.
Experimentei quase tudo, inclusive a paixão e o seu desespero. E agora eu só queria ter o que eu tivesse sido e não fui."
 
"Olhou-se e levemente pensou: tão jovem e já com ferrugem."
"Tinha um olhar de quem tem uma asa ferida."
 
"O definível está me cansando um pouco. Prefiro a verdade que há no prenuncio."
 
"Bem sei que é assustador sair de si mesmo, mas tudo que é novo assusta."
 
" porque por pior que fosse a sua situação, não queria ser privada de si, ela queria ser ela mesma."
 
" só então vestia-se de si mesma, passava o resto do dia representando com obediência o papel de ser."
 
" pensando bem: quem não é um acaso da vida? Quanto a mim, só me livro de ser apenas um acaso, porque escrevo, o que é um ato que é um fato."
 
"E eu? De mim só se sabe que respiro."
 
"Embora só tivesse nela a pequena flama indispensável: um sopro de vida."
 
"Que se há de fazer com a verdade de que todo mundo é um pouco triste e um pouco só."
 
"Me dou mal com a repetição: a rotina me afasta de minhas possíveis novidades."
 
"Morreria de vergonha de comer na frente dele porque ele era bonito além do possível equilíbrio de uma pessoa."
 
"Dançava e rodopiava porque ao estar sozinha se tornava livre!"
 
"Mas ela já o amava tanto que não sabia mais como se livrar dele, estava em desespero de amor."
 
"Ela sabia o que era o desejo - embora não soubesse que sabia. Era assim: ficava faminta mas não de comida, era um gosto meio doloroso que subia do baixo ventre e arrepiava o bico dos seios e os braços vazios sem abraço."
 
"Tornava-se toda dramática e viver doía."
 
"Será que o meu ofício doloroso é o de adivinhar na carne a verdade que ninguém quer enxergar?"
 
"Não sabia que ela própria era uma suicida embora nunca lhe tivesse ocorrido se matar."
 
"É melhor eu não falar em felicidade ou infelicidade - provoca aquela saudade desmaiada e lilás, aquele perfume de violeta, as águas geladas da maré mansa em espumas pela areia. Eu não quero provocar porque dói."
 
"Ria por não ter se lembrado de chorar."
 
"É arrumará um jeito de achar nas coisas simples e honestas a graça de um pecado. Gostava de sentir o tempo passar."
 
"Não se conta tudo porque o tudo é um oco nada."
 
 
Clarice Lispector - A hora da estrela 

Rifa

Clarice Lispector
 
Rifa-se um coração quase novo. Um coração idealista. Um coração como poucos. Um coração à moda antiga. Um coração moleque que insiste em pregar peças no seu usuário. Rifa-se um coração que na realidade está um pouco usado, meio calejado, muito machucado e que teima em alimentar sonhos, e cultivar ilusões. Um pouco inconseqüente que nunca desiste de acreditar nas pessoas. Um leviano e precipitado, coração que acha que Tim Maia estava certo quando escreveu... "não quero dinheiro, eu quero amor sincero, é isso que eu espero...". Um idealista... Um verdadeiro sonhador... Rifa-se um coração que nunca aprende. Que não endurece, e mantém sempre viva a esperança de ser feliz, sendo simples e natural. Um coração insensato que comanda o racional sendo louco o suficiente para se apaixonar. Um furioso suicida que vive procurando relações e emoções verdadeiras. Rifa-se um coração que insiste em cometer sempre os mesmos erros. Esse coração que erra, briga, se expõe. Perde o juízo por completo em nome de causas e paixões. Sai do sério e, às vezes revê suas posições arrependido de palavras e gestos. Este coração tantas vezes incompreendido. Tantas vezes provocado. Tantas vezes impulsivo. Rifa-se este desequilibrado emocional que, abre sorrisos tão largos que quase dá pra engolir as orelhas, mas que também arranca lágrimas e faz murchar o rosto. Um coração para ser alugado, ou mesmo utilizado por quem gosta de emoções fortes. Um órgão abestado indicado apenas para quem quer viver intensamente e, contra indicado para os que apenas pretendem passar pela vida matando o tempo, defendendo-se das emoções. Rifa-se um coração tão inocente que se mostra sem armaduras e deixa louco o seu usuário. Um coração que quando parar de bater ouvirá o seu usuário dizer para São Pedro na hora da prestação de contas: " O Senhor poder conferir", eu fiz tudo certo, só errei quando coloquei sentimento. Só fiz bobagens e me dei mal quando ouvi este louco coração de criança que insiste em não endurecer e, se recusa a envelhecer". Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por outro que tenha um pouco mais de juízo. Um órgão mais fiel ao seu usuário. Um amigo do peito que não maltrate tanto o ser que o abriga. Um coração que não seja tão inconseqüente. Rifa-se um coração cego, surdo e mudo, mas que incomoda um bocado. Um verdadeiro caçador de aventuras que, ainda não foi adotado, provavelmente, por se recusar a cultivar ares selvagens ou racionais, por não querer perder o estilo. Oferece-se um coração vadio, sem raça, sem pedigree. Um simples coração humano. Um impulsivo membro de comportamento até meio ultrapassado. Um modelo cheio de defeitos que, mesmo estando fora do mercado, faz questão de não se modernizar, mas vez por outra, constrange o corpo que o domina. Um velho coração que convence seu usuário a publicar seus segredos e, a ter a petulância de se aventurar como poeta.




Autopsicografia

FERNANDO PESSOA
 
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que leem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

"É nessa hora que o bem e o mal não existem. É o perdão súbito, nós que nos alimentávamos com gosto secreto da punição. Agora é a indiferença de um perdão. Pois não há mais julgamento. Não é um perdão que tenha vindo depois de um julgamento. É a ausência de juiz e de condenado."
Clarice Lispector - Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Editora Rocco Ltda., 1998, página 24

Tabacaria

FERNANDO PESSOA
 
Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo.
que ninguém sabe quem é
( E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa,
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres,
Com a morte a por umidade nas paredes
e cabelos brancos nos homens,
Com o Destino a conduzir a carroça de tudo pela estrada de nada.

Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade.
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer,
E não tivesse mais irmandade com as coisas
Senão uma despedida, tornando-se esta casa e este lado da rua
A fileira de carruagens de um comboio, e uma partida apitada
De dentro da minha cabeça,
E uma sacudidela dos meus nervos e um ranger de ossos na ida.

Estou hoje perplexo, como quem pensou e achou e esqueceu.
Estou hoje dividido entre a lealdade que devo
À Tabacaria do outro lado da rua, como coisa real por fora,
E à sensação de que tudo é sonho, como coisa real por dentro.

Falhei em tudo.
Como não fiz propósito nenhum, talvez tudo fosse nada.
A aprendizagem que me deram,
Desci dela pela janela das traseiras da casa.

"Se fosse protegida por Ulisses ainda mais do que era, ambicionaria logo o máximo: ser tão protegida a ponto de não recear ser livre: pois de suas fugida de liberdade teria sempre para onde voltar."
Clarice Lispector - Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Editora Rocco Ltda., 1998, página 19

“A verdade em que você acredita determina seu caráter.”
ARNALDO JABOR“

“Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais.”
CAIO FERNANDO ABREU

“A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras. Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida.”
ARNALDO JABOR

"E "eu te amo" era uma farpa que não se podia tirar com uma pinça."
Clarice Lispector - Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Editora Rocco Ltda., 1998, página 23

“Mas chega, se não houve troca, chega, porque amar sozinho é solitário demais, abandono demais, e você está nessa vida para evoluir, mas não para sofrer.Hoje eu acordei sem ter quem amar, mas aí eu olhei no espelho e vi, pela primeira vez na vida, a única pessoa que pode realmente me fazer feliz.”
CAIO FERNANDO ABREU“

“Na vida e no amor, não temos garantias... Portanto não procure por elas, viva o que tem que ser vivido, sem medos. O medo é um dos piores inimigos do amor e da felicidade.”
ARNALDO JABOR

Falando em saudade

Hoje sou um adulto em mente e corpo, cheio de defeitos e problemas que anseio resolver até o sol se pôr.
Quando falo de coragem parece que o dia vai terminar e ainda sou um filhote de gente que tem medo de dormir sozinho e acende a luz pra ir ao banheiro durante a noite. Sou fraco. E a minha fraqueza remete ao fato de desejar muitas coisas e sofrer com as derrotas.

Talvez eu olhe demais pro céu e veja nuvens escuras e densas capazes de destruir a minha possível felicidade. Talvez eu sorria demais. Mas o meu sorriso é tenso. Rir de tudo é desespero. Acho que falo demais e as pessoas não entendem o meu jeito de ver a vida. De sofrer com o cara que nessa chuva torrencial dorme na marquise fria e come lixo pra sobreviver.

Na verdade, eu bem que tento aproveitar os momentos de forma serena. Porque tudo tem um fim e um começo. O começo necessita de preocupação e vontade. A vontade é que faz dos momentos da vida se tornar inesquecíveis no futuro. Você pode até ter medo. Mas com medo não se vive. Com medo o mundo se torna frio. O tempo passa e você não reparou que o ar que você respira tão rapidamente e que o coração que bate depressa um dia vai parar. E você com certeza olhará pra dentro de si mesmo e questionará: Porque eu tive tanto medo? E verás que o medo é uma perda de tempo. Sem medo, o desfecho da história tem um “theend” onde as pessoas choram de emoção depois que o filme acaba.

O fato é fazer aquilo que gosta com vontade. E aproveitar cada momento como se o mundo fosse acabar depois de amanhã. Eu não sei o que é saudade e acho que as pessoas também não têm noção do que essa palavra realmente significa dentro do coração de quem realmente tem o anseio da nostalgia. Mas ela existe. Talvez quem ama demais sinta saudades. Saudade deve ser aquela coisa de querer ver a lua e o dia estar nublado. Querer ligar pra alguém só pra ouvir a voz dessa pessoa e o telefone só dar ocupado. É ficar com raiva de Deus porque ele foi agilizar o relógio da vida fazendo com que os momentos se tornassem inesquecíveis, mas que foram passados tão rápido.

Hoje eu chorei convulsivamente porque meu peito apertou de vontade de voltar atrás pra fazer um início diferente para que o final não seja triste como está sendo. Devia ter amado mais, chorado mais, abraçado mais. Talvez devesse encontrar uma forma de esquecer que existo e focar a minha mente em todas as pessoas que sofrem nesse mundo tão hostil. Porque o mundo todo chora hoje. E muitos choram com saudade do que nunca tiveram. Talvez em sonhos ou quem sabe em apenas desejos.

Hoje eu descobri que a vida é uma novela chamada saudade. Que a minha infância foi bacana assim como a minha adolescência. Só que eu não aproveitei como deveria a ponto de sentir saudade. Hoje eu sou um adulto frustrado. E só tenho saudade daquilo que perdi. Porque realmente não é legal a gente ter saudade de uma coisa que nunca tivemos.

Que a saudade que hoje sentimos seja recíproca como o amor que hoje doamos. Porque o bom de sentir saudade é quando o sorriso reflete no espelho com um brilho no olhar capaz de acender a luz interior que as pessoas precisam pra enxergar que o mundo sofre demais, mas que o monstro da saudade pode ser sanado com esse brilho.

E que amanhã a gente não sofra tanto porque sentiu saudade. Porque osol vai brilhar com mais intensidade e a primavera não vai demorar muito pra chegar. Sim, hoje eu senti a sua falta. Mas percebi que a falta que você me faz difere de qualquer sentimento mesquinho e que possa apodrecer o meu coração. Porque saudade é sorrir quando olhamos pra trás e percebemos que o que de errado foi feito, foi feito exatamente porque queríamos acertar. Que o mundo vai girar um dia trazendo a felicidade junto com a saudade que hoje talvez possa me perseguir e me entristecer.

Sentir saudade é inevitável, mas o presente é agora. E ele não pode esperar. Por isso eu penso no presente mesmo sentindo saudades do que passou a cada segundo. E não existe remédio. Existe o presente que pode ser movido pela vontade de fazer com que esse momento seja especial. E que a saudade seja boa. Porque sentir saudade daquilo que me fez bem, é bom demais.

Sofrer de saudade é ter deixado de fazer algo ou esquecido de demonstrar o seu poder ao mundo naquele momento. No momento único. Porque todos os momentos são únicos. Amanhã você vai ter saudades do hoje e hoje você terá saudades do ontem.Mas para que você chore de felicidade quando sentir saudade é necessário que faça do hoje um dia pleno vivido com sorrisos e magia. Caso contrário, a saudade pode doer tanto ao ponto de você não conseguir mais viver. E a vida pode perder o sentido.

Acredite que ninguém vive sem saudade. Porque a vida é feita de momentos. Que a mente insiste em lembrar para que você possa a cada dia melhorar o seu presente para que tenha um futuro de paz e um passado que faça você sorrir. Sorrir de saudade.

Autor: “Daniel Velloso, escritor, autor do livro “Avesso da alma” pela Editora Multifoco, nascido em 1985 e viciado em sonhar.”

“Soltei o mundo para segurar sua mão.”
CAIO FERNANDO ABREU

“..que seja doce o dia quando eu abrir as janelas e lembrar de você. que sejam doce os finais de tardes, inclusive os de segunda-feira - quando começa a contagem regressiva para o final de semana chegar. que seja doce a espera pelas mensagens, ligações e recadinhos bonitinhos. que seja (mais do que) doce a voz ao falar no telefone. que seja doce o seu cheiro. que seja doce o seu jeito, seus olhares, seu receio. que seja doce o seu modo de andar, de sentir, de demonstrar afeto. que sejam doce suas expressões faciais, até o levantar de sobrancelha. que seja doce a leveza que eu sentirei ao seu lado. que seja doce a ausência do meu medo. que seja doce o seu abraço. que seja doce o modo como você irá segurar na minha mão. que seja doce. que sejamos doce..”
CAIO FERNANDO ABREU

“Não tenho tido muito tempo ultimamente mas penso tanto em você que na hora de dormir de vez em quando até sorrio.”
CAIO FERNANDO ABREU

“É preciso que você venha nesse exato momento. Abandone os antes. Chame do que quiser. Mas venha. Quero dividir meus erros, loucuras, beijos, chocolates…. Apague minhas interrogações.”
CAIO FERNANDO ABREU

 

EU DESEJO

 
Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.

Desejo, pois, que não seja assim
Mas se for, saiba ser sem se desesperar


Desejo também que tenha amigos
Que mesmo maus e inconseqüentes
Sejam corajosos e fiéis
E que pelo menos em um deles
Você possa confiar sem duvidar
E porque a vida é assim

Desejo ainda que você tenha inimigos
Nem muitos, nem poucos
Mas na medida exata para que
Algumas vezes você se interpele
A respeito de suas próprias certezas.
E que entre eles
Haja pelo menos um que seja justo

Desejo depois, que você seja útil
Mas não insubstituível
E que nos maus momentos
Quando não restar mais nada
Essa utilidade seja suficiente
Para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante
Não com os que erram pouco
Porque isso é fácil
Mas com os que erram muito e irremediavelmente
E que fazendo bom uso dessa tolerância
Você sirva de exemplo aos outros


Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais
E que sendo maduro
Não insista em rejuvenescer
E que sendo velho
Não se dedique ao desespero
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor


Desejo, por sinal, que você seja triste
Não o ano todo, mas apenas um dia
Mas que nesse dia
Descubra que o riso diário é bom
O riso habitual é insosso
E o riso constante é insano.

Desejo que você descubra
Com o máximo de urgência
Acima e a respeito de tudo
Que existem oprimidos, injustiçados e infelizes
E que estão bem à sua volta

Desejo ainda
Que você afague um gato, alimente um cuco
E ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque assim, você se sentirá bem por nada


Desejo também
Que você plante uma semente, por menor que seja
E acompanhe o seu crescimento
Para que você saiba
De quantas muitas vidas é feita uma árvore

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro
Porque é preciso ser prático
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele na sua frente e diga:
“Isso é meu”
Só para que fique bem claro
Quem é o dono de quem


Desejo também
Que nenhum de seus afetos morra
Por eles e por você
Mas que se morrer
Você possa chorar sem se lamentar
E sofrer sem se culpar

Desejo por fim
Que você sendo homem, tenha uma boa mulher
E que sendo mulher, tenha um bom homem
Que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes

E quando estiverem exaustos e sorridentes
Ainda haja amor pra recomeçar
E se tudo isso acontecer
Não tenho mais nada a lhe desejar
11/11/2015

QUE FILME A GENTE SERIA?

Difícil começar a escrever sobre temas que anotei na minha lista de “crônicas para se pensar”, quando só uma coisa me vem à cabeça. Você. É, você. Você e seu jeito de me olhar quando eu abro a porta de casa. Você e suas blusas Hering sempre iguais. Você e seu jeito de mudar o canal cem vezes por minuto. Você e seu jeito tosco que às vezes me irrita. Você e suas manias engraçadas que me fazem rir. Você e seu coração que quase te engole. Você e seu jeito investigativo de olhar para o mundo, como se tudo fosse um filme. Achando planos. Ângulos. Luzes. Sombras. E me enquadrando no meio de tudo.
Nessas horas, te olho e penso: que filme se passa quando você NOS vê? Que filme te lembra quando você ME vê? Seria eu uma das mulheres loucas de Almodóvar? Uma neurótica com ares novelle vogue, bem Woody Allen? Ou – quem sabe?- surgiríamos das telas lisérgicas de Kubrick, surpreendendo a nós mesmos, com atitudes e tons que teoricamente nunca teríamos?
Mas… Não. Não seria assim. No máximo, Agnes Varda te serviria de inspiração (gosto de pensar que você me acha maluca, mesmo tendo consciência que isso te assusta). A verdade é que tudo em você é original demais. Sua mente é intensa e infinita e eu adoro pensar nas imagens que dançam em sua cabeça. (Logo eu, que penso SÓ com palavras)
Aposto que agora você está imaginando: como seria o NOSSO filme? Bom, tenho uma coisa a dizer. A história é nossa, mas a direção é sua. Sempre foi, desde que te conheci. E eu te sigo,sigo… Produzo o que não existe, crio diálogos intermináveis,
mudo o roteiro a toda hora. E tenho que confessar, mesmo tendo a lua em Áries (coisa de quem não aceita ordens): eu GOSTO disso. Gosto que você dirija. O carro. O ritmo. A ordem. A viagem. A relação. Porque, vamos ser sinceros… Se fosse eu a diretora dessa história, nosso longa-metragem seria um curta (já que nunca fui dada a grandes experimentos). Mas você me mostrou que faz parte acreditar. Amadurecer. Ter paciência. Relevar. OK. Vale conhecer o enredo. Vale apagar tudo e recomeçar. Vale rebobinar e rever. Vale apertar o pause e tentar. Não é assim? Por isso, antes que esse texto vire um emaranhado de metáforas baratas de cinéfilos, vou improvisar e dizer sem pensar (porque ambos sabemos que esse é um dos meus hobbies preferidos e meu “quase talento”): te deixo nos guiar, se você, por sorte, me deixar escrever. O roteiro é meu. Mas a direção é sua. Adivinha só o final que eu reservei para nós?
Fernanda Mello

EU APRENDI

William Shakespeare 
 
Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam…
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser.
descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse alguém não o ama,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar…
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.
E aprende que a melhor sala de aula do mundo
está aos pés de uma pessoa mais velha;
Aprende que ter uma criança adormecida nos braços
é um dos momentos mais pacíficos do mundo
que ser gentil é mais importante do que estar certo;
que nunca se deve negar um presente a uma criança;
que você sempre pode fazer uma prece por alguém
quando não tem a força para ajudá-lo
de alguma outra forma;
que não importa quanta seriedade a vida exija de você,
cada um de nós precisa de um amigo brincalhão
para se divertir junto;
que algumas vezes tudo o que precisamos
é de uma mão para segurar e um coração para nos entender;
Eu aprende que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirão
nas noites de verão quando eu era criança
fizeram maravilhas para mim quando me tornei adulto;
que deveríamos ser gratos a Deus
por não nos dar tudo que lhe pedimos;
que dinheiro não compra "classe";
que são os pequenos acontecimentos diários
que tornam a vida espetacular;
que debaixo da "casca grossa" existe uma pessoa
que deseja ser apreciada, compreendida e amada;
que Deus não fez tudo num só dia;
o que me faz pensar que eu possa?
E aprende que ignorar os fatos não os altera;
que quando você planeja se nivelar com alguém,
apenas está permitindo que essa pessoa continue a magoar você;
que é o AMOR, e não o TEMPO,
que cura todas as feridas;
que a maneira mais fácil para eu crescer como pessoa
é me cercar de gente mais inteligente do que eu;
que cada pessoa que a gente conhece
deve ser saudada com um sorriso;
que ninguém é perfeito até que você
se apaixone por essa pessoa;
Aprendi
que a vida é dura, mas que voce é mais ainda;
que as oportunidades nunca são totalmente perdidas;
alguém vai aproveitar as que você perdeu.
que quando o ancoradouro se torna amargo
a felicidade vai aportar em outro lugar;
que devemos sempre ter palavras doces e gentis
pois amanhã talvez tenhamos que engoli-las;
que um sorriso é a maneira mais barata
de melhorar sua aparência;
que não posso escolher como me sinto,
mas posso escolher o que fazer a respeito;
que todos querem viver no topo da montanha,
mas toda felicidade e crescimento ocorre
quando você esta escalando-a;
que só se deve dar conselho em duas ocasiões:
quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;
E aprende
Que quanto menos tempo voce tem 
mais coisas voce consegue fazer.

"E se realmente gostarem?

Se o toque do outro de repente for bom?

Bom, a palavra é essa.

Se o outro for bom para você.

Se te der vontade de viver.

Se o cheiro do suor do outro também for bom.

Se todos os cheiros do corpo do outro forem bons.

O pé, no fim do dia. A boca, de manhã cedo. Bons, normais, comuns.

Coisa de gente. Cheiros íntimos, secretos.

Ninguém mais saberia deles se não enfiasse o nariz lá dentro, a língua lá dentro, bem dentro, no fundo das carnes, no meio dos cheiros.

E se tudo isso que você acha nojento for exatamente o que chamam de amor? Quando você chega no mais íntimo, no tão íntimo, mas tão íntimo que de repente a palavra nojo não tem mais sentido.

Você também tem cheiros. As pessoas têm cheiros, é natural.

Os animais cheiram uns aos outros. No rabo.

O que é que você queria?

Rendas brancas imaculadas?

Será que amor não começa quando nojo, higiene ou qualquer outra dessas palavrinhas, desculpe, você vai rir, qualquer uma dessas palavrinhas burguesas e cristãs não tiver mais nenhum sentido?

Se tudo isso, se tocar no outro, se não só tolerar e aceitar a merda do outro, mas não dar importância a ela ou até gostar, porque de repente você até pode gostar, sem que isso seja necessariamente uma perversão, se tudo isso for o que chamam de amor.

Amor no sentido de intimidade, de conhecimento muito, muito fundo.

Da pobreza e também da nobreza do corpo do outro. Do teu próprio corpo que é igual, talvez tragicamente igual.

O amor só acontece quando uma pessoa aceita que também é bicho.

Se amor for a coragem de ser bicho.

Se amor for a coragem da própria merda.

E depois, um instante mais tarde, isso nem sequer será coragem nenhuma, porque deixou de ter importância.

O que vale é ter conhecido o corpo de outra pessoa tão intimamente como você só conhece o seu próprio corpo.

Porque então você se ama também."


Caio Fernando Abreu.

"Quando se respeita alguém não queremos forçar a sua alma sem o seu consentimento.

Simone de Beauvoir

"No fundo de cada alma há tesouros escondidos que somente o amor permite descobrir."

Édouard Rod

"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma, todo o universo conspira a seu favor."

Johann Goethe

GAROTA DE IPANEMA

Tom Jobim

Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
Num doce balanço
A caminho do mar

Moça do corpo dourado
Do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar

Ah, por que estou tão sozinho?
Ah, por que tudo é tão triste?
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha

Ah, se ela soubesse
Que quando ela passa
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo
Por causa do amor

"... uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi o apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteira, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, espararei quanto tempo for preciso."

Clarice Lispector

.

ARTE DE AMAR

Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.
Só em Deus ela pode encontrar satisfação.
Não noutra alma.
Só em Deus - ou fora do mundo.
As almas são incomunicáveis.
Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.
Porque os corpos se entendem, mas as almas não.
Manuel Bandeira

Alivia a minha alma, faze com que eu sinta que Tua mão está dada à minha, faze com que eu sinta que a morte não existe porque na verdade já estamos na eternidade, faze com que eu sinta que amar é não morrer, que a entrega de si mesmo não significa a morte, faze com que eu sinta uma alegria modesta e diária, faze com que eu não Te indague demais, porque a resposta seria tão misteriosa quanto a pergunta, faze com que me lembre de que também não há explicação porque um filho quer o beijo de sua mãe e no entanto ele quer e no entanto o beijo é perfeito, faze com que eu receba o mundo sem receio, pois para esse mundo incompreensível eu fui criada e eu mesma também incompreensível, então é que há uma conexão entre esse mistério do mundo e o nosso, mas essa conexão não é clara para nós enquanto quisermos entendê-la, abençoa-me para eu viva com alegria o pão que eu como, o sono que durmo, faze com que eu tenha caridade por mim mesma, pois senão não poderei sentir que Deus me amou, faze com que eu perca o pudor de desejar que na hora de minha morte haja uma mão humana amada para apertar a minha, amém.

Clarice Lispector

ONDE ANDA VOCÊ

      VINICIUS DE MORAES
 
E por falar em saudade
Onde anda você
Onde andam os seus olhos
Que a gente não vê
Onde anda esse corpo
Que me deixou morto
De tanto prazer

E por falar em beleza
Onde anda a canção
Que se ouvia na noite
Dos bares de então
Onde a gente ficava
Onde a gente se amava
Em total solidão

Hoje eu saio na noite vazia
Numa boemia sem razão de ser
Na rotina dos bares
Que apesar dos pesares
Me trazem você

E por falar em paixão
Em razão de viver
Você bem que podia me aparecer
Nesses mesmos lugares
Na noite, nos bares
Onde anda você
"EU PENSO O TEMPO, TODO PORQUE VOCE ME DEIXA COM A PULGA ATRAS DA ORELHA, UM PÉ NA FRENTE E OUTRO ATRAS. E ME DEIXANDO SOLTA, MAS ME PRENDENDO TANTO, QUE PRA ME GANHAR, É SÓ OLHAR NO MEU OLHAR.
E ME LEVANTO CEDO, TE ESPERO ACORDAR, E BRINDO LOGO COM UM BEIJO, FAZENDO BRINCADEIRAS, SEU JEITO DE AMAR, QUE PRA ME HIPNOTIZAR E SÓ OLHAR NO MEU OLHAR..."

"...Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você."

EU NAO EXISTO SEM VOCE

TOM JOBIM

PELA LUZ DOS OLHOS SEUS

Tom Jobim

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar

Ai, que bom que isso é, meu Deus
Que frio que me dá
O encontro desse olhar

Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus
Só pra me provocar

Meu amor, juro por Deus
Me sinto incendiar

Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus
Já não pode esperar

Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus
Sem mais la ra ra ra

Pela luz dos olhos teus
Eu acho, meu amor, que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar

(La ra ri ra ra ra)
(La ra ri ra ra ra)

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar

Ai, que bom que isso é, meu Deus
Que frio que me dá
O encontro desse olhar

Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus
Só pra me provocar

Meu amor, juro por Deus
Me sinto incendiar

Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus
Já não pode esperar

Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus
Sem mais la ra ra ra

Pela luz dos olhos teus
Eu acho, meu amor, e só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar
Precisa se casar, precisa se casar

“Eu sou uma eterna apaixonada por palavras, música e pessoas inteiras. Não me importa seu sobrenome, onde você nasceu, quanto carrega no bolso. Pessoas vazias são chatas e me dão sono.”
Clarice Lispector

AS ROSAS NÃO FALAM

                        CARTOLA
Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão
Enfim

Volto ao jardim
Com a certeza que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar
Para mim

Queixo-me às rosas
Mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti, ai

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhavas meus sonhos
Por fim

“Sabe o que eu quero de verdade? Jamais perder a sensibilidade, mesmo que às vezes ela arranhe um pouco a alma. Porque sem ela não poderia sentir a mim mesma...”
Clarice Lispector

A SUA

MARISA MONTE
 
"Eu só quero que você saiba
Que estou pensando em você
Agora e sempre mais
Eu só quero que você ouça
A canção que eu fiz pra dizer
Que eu te adoro cada vez mais
E que eu te quero sempre em paz

Tô com sintomas de saudade
Tô pensando em você
Como eu te quero tanto bem
Aonde for não quero dor
Eu tomo conta de você
Mas te quero livre também
Como o tempo vai e o vento vem

Eu só quero que você caiba
No meu colo
Porque eu te adoro cada vez mais
Eu só quero que você siga
Para onde quiser
Que eu não vou ficar muito atrás..."

"Algumas coisas,
por mais impossíveis e malucas que pareçam,
a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas
para um dia dar certo."

CAIO FERNANDO

MARIA MARIA

Maria, Maria
É o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que ri quando deve chorar
E não vive, apenas agüenta
Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria
Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida

ELIS REGINA
"Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte
Mais feliz, quem sabe
Só levo a certeza
De que muito pouco sei
Ou nada sei...
 
...Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
 
Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente..."
                                                                                 ALMIR SATER
 

"Chorar por tudo que se perdeu, por tudo que apenas ameaçou e não chegou a ser, pelo que perdi de mim, pelo ontem morto, pelo hoje sujo, pelo amanhã que não existe, pelo muito que amei e não me amaram, pelo que tentei ser correto e não foram comigo. Meu coração sangra com uma dor que não consigo comunicar a ninguém, recuso todos os toques e ignoro todas tentativas de aproximação. Tenho vergonha de gritar que esta dor é só minha, de pedir que me deixem em paz e só com ela, como um cão com seu osso.
A única magia que existe é estarmos vivos e não entendermos nada disso. A única magia que existe é a nossa incompreensão."

Caio Fernando Abreu


"Conservar algo que possa recordar-te seria admitir que eu pudesse esquecer-te."
William Shakespeare

 

 
Milho Aos Pombos
Zé Geraldo

Enquanto esses comandantes loucos ficam por aí
Queimando pestanas organizando suas batalhas
Os guerrilheiros nas alcovas preparando na surdina suas
Mortalhas
 
A cada conflito mais escombros
Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça
Dando milho aos pombos

Entra ano, sai ano, cada vez fica mais difícil
O pão, o arroz, o feijão, o aluguel
Uma nova corrida do ouro
O homem comprando da sociedade o seu papel

Quando mais alto o cargo maior o rombo
Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça
Dando milho aos pombos

Eu dando milho aos pombos no frio desse chão
Eu sei tanto quanto eles se bater asas mais alto
Voam como gavião
Tiro ao homem tiro ao pombo
Quanto mais alto voam maior o tombo

Eu já nem sei o que mata mais
Se o trânsito, a fome ou a guerra
Se chega alguém querendo consertar
Vem logo a ordem de cima
Pega esse idiota e enterra
Todo mundo querendo descobrir seu ovo de Colombo
 
Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça
Dando milho aos pombos...

“Sorrisos e abraços espontâneos me emocionam. Palavras até me conquistam temporariamente. Mas atitudes me ganham para sempre.”
Clarice Lispector

"Nada há que me domine e que me vença
Quando a minha alma mudamente acorda...
Ela rebenta em flor, ela transborda
Nos alvoroços da emoção imensa."

Cruz e Sousa
Quinta-feira, Setembro 17, 2015, 12:58 | 1 Comentário »

Site construído com Kopage
← Obtenha hoje mesmo, o seu
Este site poderá utilizar cookies
Este site pode utilizar cookies para um melhor funcionamento. A qualquer altura, poderá desativar ou gerir nas configurações do seu navegador. Ao navegar no nosso site, aceita a política de utilização de cookies.

OK, eu compreendo ou Mais informação
Encontre-nos no Facebook
Powered by Kopage
Informação sobre cookies
Este site pode utilizar cookies para um melhor funcionamento. A qualquer altura, poderá desativar ou gerir nas configurações do seu navegador. Ao navegar no nosso site, aceita a política de utilização de cookies.
OK, eu compreendo
Powered by Kopage